Insights

Inteligência e Contra-Inteligência no armazenamento de informações

A cultura da Iron Mountain é baseada no respeito, apoio, inclusão e incentivo às nossas equipes

Iron Mountain Brasil

Escritor

Sabia um pouco mais sobre como essas estratégias ajudam a garantir a segurança e o sigilo de dados da sua empresa

Quando falamos sobre gestão documental precisamos contar com estratégias e tecnologias que nos ajudem a garantir que nenhuma informação será perdida ou trocada. Para isso contamos com ações de inteligência e contra-inteligência.

Ações de inteligência são processos de bases intelectuais que asseguram as tomadas de decisões. Já a contra-inteligência é a proteção de conhecimentos produzidos para que não sejam acessados por pessoas não autorizadas. Apesar de terem objetivos diferentes, as ações promovidas por ambas se complementam e permeiam.

Inteligência e o gerenciamento de informações

A partir dos conhecimentos adquiridos sobre a inteligência, é possível identificar quais ações serão aplicadas no gerenciamento das informações. Uma delas é relacionar a inteligência do compliance, criando processos para entrar em conformidade com as leis e que dificultem, por exemplo, o extravio de documentos. 

A inteligência soma na estratégia de desenvolvimentos de todos esses processos, visando minimizar os riscos de vazamento ou perda de dados e documentos. Usar a estratégia da inteligência é essencial para criar uma linha mestra que guie a construção de barreiras que impeçam ou dificultem a perda de informações importantes.

Contra-inteligência e a proteção de dados

A contra-inteligência trabalha estratégias de prevenção, detecção e neutralização de ameaças com o objetivo de proteger as estratégias definidas no trabalho de inteligência. O trabalho da contra-inteligência, na prática, é evitar as invasões para roubos de informações e de dados. 

No sentido da antecipação, uma empresa que trabalha com armazenamento de dados e documentos, por exemplo, tem que prever tudo o que pode dar errado, realizando testes de segurança e reforçando, através das estratégias de inteligência, a proteção ao bem guardado.

Dados internacionais

Um relatório da consultoria norte-americana Kroll apontou que 35% das grandes companhias consideram as violações de fornecedores e empresas parceiras o maior risco para os programas anticorrupção, e que 58% dessas empresas já encontraram violações em seus códigos de ética, ou infrações legais. 

Esses números retratam bem a preocupação das empresas com vazamento de dados financeiros e de relacionamento, entretanto devemos considerar que a preocupação com a armazenagem de dados da empresa é comum para todos os empresários.

É necessário garantir a organização e o sigilo de informações de todos os setores, a fim de agilizar processos internos e se preparar para possíveis processos judiciais e auditorias.

Essas estratégias funcionam melhor quando são pensadas por empresas especializadas em prestar esse tipo de serviços, do que quando feitas e executadas por um departamento que pode não estar preparado estruturalmente para lidar com o excesso de informações.

22 julho 2021

Compartilhe

facebook linkedin